Apresentação

Esse blog tem vários objetivos.

Para começar, ele pretende manter viva a discussão sobre a epidemia do vírus Zika e sobre suas consequências imediatas para crianças, mulheres, famílias e comunidades diretamente atingidas. Manter viva a discussão é uma escolha política importante nesse momento, sobretudo quando tantos outros atores, como a mídia, os governos, os serviços de saúde por exemplo, têm progressivamente se retirado de cena.

O blog também tem intuitos pedagógicos, já que envolve estudantes e antropólogas em (constante) formação. Escrever textos mais curtos é um jeito de provocar a formação acadêmica mais convencional, que geralmente preza por formatos mais longos, verborrágicos, sisudos e prolixos. A ideia aqui é exercitar outras formas de contar histórias, com diálogos, memórias, etnoficção etc. Contudo, embora os textos sejam concisos, não desejamos perder a densidade e emoção. Escrever, escrever de muitas formas, escrever para descobrir outros estilos textuais. Tudo isso atiça a reflexão e a criatividade, contribuindo para termos antropólogas mais versáteis e comunicativas na praça.

As histórias se baseiam em dados empíricos e etnográficos, produzidos durante incursões de campo realizadas na grande região metropolitana do Recife, onde a epidemia foi tão implacável. Nossa equipe de professoras e estudantes tem ido ao Recife todo semestre, conhecido, visitado, encontrado, dialogado e convivido com mulheres cujos filhos nasceram com a Síndrome Congênita do Vírus Zika. São elas a nos contar, em primeira mão, em primeira pessoa, como é estar no epicentro de todo esse intenso fenômeno. É a partir de suas histórias, sempre veladas para evitar exposição e constrangimento, que surgem esses textos. São dados etnográficos que inspiram nossos escritos aqui. O blog, portanto, já apresenta resultados da pesquisa em curso. 

Assim, o blog é uma forma de produzir conhecimento, de construir a universidade. Mas em contato direto com uma epidemia, tanto a partir de quem a vive no cotidiano, quanto para quem dela quer saber mais. Um blog popularizando e fazendo chegar mais longe o que uma antropóloga, um departamento de Antropologia, uma universidade pública estão produzindo hoje em dia no Brasil.

Bem-vindas. Se acheguem. Vamos contar histórias e conversar.

...

December 18, 2018

Soraya Fleischer
Professora do Departamento de Antropologia
Universidade de Brasília
soraya@unb.br

Era uma terça-feira de setembro, cedo da manhã. Estávamos, eu e Amanda Antunes, minha colega pesquisadora, visitando um grande hospital público onde se localizava um servi...

December 18, 2018

Amanda Antunes
Antropóloga, pesquisadora Apoio Técnico/CNPq
amandaarso12@gmail.com

É um dia como qualquer outro para Sofia. Rosa, sua mãe, chega como uma típica mãe de micro: muitas sacolas num braço e a filha no outro. As duas estão na fila para mais uma das inúmeras c...

November 20, 2018

Monique Batista

Mestre em Antropologia/UnB

monique2508@gmail.com

                   Existiria um dentro assim como um fora. Fora e dentro de nós. Esse era um dos dilemas que me pareceu abordar a experiência de crianças com deficiências e que fora apresentado por Lúcia. Lú...

October 16, 2018

Helena Prado

Autora convidada
Pós-doutoranda em Antropologia IFRIS/Universidade Paris Descartes, França
helenamprado@gmail.com

Em uma tarde de outubro de 2017 no centro do Recife, entro numa sala de fisioterapia pediátrica. Tenho visita marcada para observação junto com...

October 2, 2018

Lucivânia Gosaves

Graduanda em Antropologia, Universidade de Brasília

Em novembro de 2015 a ciência nacional e internacional se encontrou diante de uma epidemia desconhecida, que logo depois teria sua principal consequência conhecida como a Síndrome Congênita do Vírus Zi...

August 17, 2018

Thais Valim
Mestranda (PPGAS/UFRN)

Em novembro de 2015, o Ministério da Saúde (MS) emitiu uma nota confirmando a relação entre a epidemia do Zika Vírus (ZIKV) e a quantidade galopante de casos de recém-nascidos diagnosticados com microcefalia que vinha sendo observada n...

August 14, 2018

Lucivânia Gosaves

Graduanda em Ciências Sociais

Universidade de Brasília

A síndrome congênita Do Vírus zika acionou atenção constante. As mães dos bebês com microcefalia são as principais protagonistas nos cuidados diários que demandam tempo, esforço, recursos e uma mudan...

May 27, 2018

Soraya Fleischer
Professora do Departamento de Antropologia

Universidade de Brasília

Era uma quinta-feira de manhã. Eu me encontrei com Simone e seu filho, Filipe, numa das clínicas que oferecem terapias de reabilitação às crianças com a síndrome congênita do vírus Zika...

May 17, 2018

Raquel Lustosa
Mestranda em Antropologia/UFPE
lusraquel@gmail.com

As idas e vindas dos municípios do interior até a capital de Pernambuco costumam ser difíceis para muitas das “mães de micro”, que se deslocam em busca de reabilitação fisioterapêutica para seus filhos/as...

April 27, 2018

Aissa Simas

Graduanda em Ciências Sociais
Universidade de Brasília

A responsabilidade pelo cuidado é uma realidade próxima para muitas mulheres. No cenário da microcefalia, as mães aparecem não apenas como as principais cuidadoras, mas frequentemente como as únicas. Para...

Please reload

© 2023 por Armário Confidencial. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now